sábado, 28 de agosto de 2010

Queria...


Calar esta voz que vive em mim.
Ficar dormente.
Não sentir.
Parar no tempo.
Parar o pensamento.
Regressar.
Sossegar.
… Mas dói e dói sempre mais (não devia doer menos?!).
Ouço.
Sinto.
Não pára!
Regresso.
Sossego.
Dói.
Caio.
Mas levanto-me sempre.
SEMPRE.
SEMPRE.
SEMPRE.
SEMPRE.
SEMPRE!

1 comentário:

Rute disse...

Quero apenas deixar-te um abraço do tamanh do mundo!