terça-feira, 3 de agosto de 2010

Iogurtes naturais caseiros sem iogurteira






Depois de algumas experiências, aderi ao método da panela de pressão e agora também fazemos os iogurtes em casa, em vez de os comprarmos. Faz-se assim:

Ingredientes:
1 litro de leite do dia
1 iogurte natural
2 colheres de sopa de leite em pó

Amorna-se o leite ao lume, a temperatura do leite não deve ser muito forte (se não a fermentação do iogurte não se dá), para testar se está na temperatura certa, deve-se conseguir manter o dedo dentro do leite por 10 segundos. Enquanto o leite aquece, num jarro mistura-se o iogurte com o leite em pó e depois o leite morno, mexe-se bem.

Põe-se também ao lume a panela de pressão tapada, com 2 dedos de água lá dentro. Deixa-se ferver um pouco e depois apaga-se o lume.

Enchem-se os frascos de vidro com a mistura e deixam-se destapados.

Tira-se a água da panela de pressão e colocam-se os frascos com o iogurte lá dentro. Fecha-se a tampa da panela e envolve-se a panela com panos e uma manta quente. Coloca-se num local resguardado de correntes de ar e não se mexe mais para não talhar. Deixa-se repousar entre 10 a 12 horas. Quando prontos, tapam-se os frascos de iogurte e colocam-se no frigorífico.

Para fazer novos iogurtes, usa-se um iogurte destes como fermento. Tem que se renovar o "fermento" pelo menos uma vez por mês, com um iogurte de compra.

Se a coisa não correr bem, pode-se ver aqui que problema está a acontecer.

Notas:
1. O iogurte funciona como fermento, também se pode utilizar fermento em pó próprio para fazer iogurtes (lactobacilos desidratados) mas nunca experimentei - este último, devido à grande concentração de bactérias permite que se utilize um iogurte caseiro como fermento em futuras receitas por mais vezes, entre 10 a 20. Quando o iogurte se torna mais líquido, está na altura de renovar o fermento.
2. Pode-se usar leite magro, meio-gordo ou gordo. Faço sempre com leite magro e ficam muito bons. Com leite gordo ficam mais espessos.
3. Se se usar leite do dia, não é necessário esterilizar o mesmo, apenas tem que se abrir o pacote mesmo antes de utilizar.
4. O leite em pó é opcional, faz com que os iogurtes fiquem mais cremoso.
5. Pode-se colocar açúcar na mistura (4 colheres de sopa) para quem goste ou colocar compotas no fundo do frasco, antes de colocar a mistura, que deve ser deitada com muito cuidado.
6. Também se pode adicionar polpa de fruta, ter cuidado com as frutas muito ácidas, pois podem talhar o iogurte – para contornar este problema, basta ferver a fruta com um pouco de açúcar e deixar evaporar a água da mesma. Eu prefiro juntar a fruta na altura de comer, sem açúcar.
7. Os recipientes que uso para os iogurtes são frascos de vidro com tampas plásticas que aproveitei de coisas que comprei no supermercado, uso os frascos da iogurteira (sempre serviu para alguma coisa) e uso também frascos dos iogurtes Emmi/Swiss, pois são os únicos no mercado que têm tampa plástica e dá para reaproveitar. Também se podem comprar aqui e aqui.

Bom apetite!

6 comentários:

NaturaliiZ disse...

Isto de fazer iogurtes com a panela de pressão é novidade para mim. De qualquer modo tenho que me contentar com a iogurteira até porque não tenho panela de pressão. Mas de facto é o método mais económico.
Gostei muito deste blogue, já o estou a seguir. A Ana é muito criativa e versátil, os meus parabéns!

Dra. Joana Pinheiro disse...

Parabéns pelo blogue. Após pesquisa no google sobre iogurtes caseiros encontrei e fiquei fã.

Livia Galveias disse...

Eu também faço iogurtes sem iogurteira, mas dentro de uma caixa térmica de isopor/esferovite. Coloco o leite/iogurte/leite em pó num plástico (tupperware) de 1 litro com tampa, aqueço alguma água e ponho dentro da caixa para ficar quentinho (sem ser demais). Depois de 7/8 horas fica pronto.

Fernando disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando disse...

Olá
Eu faço iogurte há vários meses e sugiro as seguintes variantes:
Não uso frascos para a fermentação, ficam na panela e depois num tupperware médio ou grande no frigorífico (1 ou 2 litros, ou mais se quiser fazer mais) - sirvo na hora de comer a quantidade que quiser; não uso leite em pó, não faz nenhuma falta porque uso leite gordo - fica mais saboroso e com melhor consistência - mas se for meio gordo também passa, embora não seja tão bom; 7 horas chega para a fermentação; não preciso de panela de pressão, ponho a mesma que aqueceu o leite, tapada, dentro de uma caixa forrada com esferovite daquela mole de embalar (não sei o nome correcto); basta-me meio iogurte comprado para 1 litro de leite; não preciso de renovar o iogurte para fermento todos os meses, longe disso - mas não sei quantas vezes dura, porque às vezes distraio-me e gasta-se todo e lá tenho de comprar outro. Os meus truques para ficar com boa consistência são usar leite gordo pasteurizado (o tal "do dia"), e não UHT (que apesar de tudo também resulta, mas é menos saudável); e aquecer ligeiramente mais do que a indicação dos 10 segundos com o dedo, muito ligeiramente - gostava era de ter um termómetro para saber a temperatura real. Ao servir misturo com flocos de aveia, morango triturado ou também com bocados de fruta (pêssego, kiwi...); às vezes com doce, mas é claro que é de evitar.
Há quem não queira usar leite gordo, mas saliento que é o indicado para as crianças de 2 a 5 anos (não sei se mais velhas também). E o culto dos lacticínios magros parece-me está envolto em alguns interesses obscuros...
Parabéns pelo blog!